É o segundo país mais populoso do mundo com cerca de 1,1 mil milhões de habitantes. É uma das mais antigas civilizações do mundo, com mais de 4000 anos, e que testemunhou a ascensão e queda de vários impérios. O país sempre foi retratado como uma terra de integridade espiritual e a sua grande afinidade com a religião e mitologia reflecte-se ao longo dos tempos através das suas formas de arte que compõe a cultura Indiana.

India - Pacotes de Viagens


Essências da Índia
DESDE980€

Essências da Índia

6 noites com Pensão Completa
Norte da Índia
DESDE1365€

Norte da Índia

8 noites em Meia Pensão

Nova Deli: Nova Deli é a capital da Índia e a terceira maior cidade do país. Tem uma grande herança cultural e todos os anos atrai um elevado número de turistas de todo o mundo que querem conhecer o seu majestoso e imperial passado nas antigas ruínas e monumentos históricos como o Portal da índia, Forte Vermelho, Templo de Gurdwara Bangla Sahib, Túmulo de Humayun, Mesquita de Jama Masjid, Memorial de Mahatma Gandhi, Mesquita Moti Musjid entre outros.

Calcutá: Capital do Estado de Bengala Ocidental é o maior aglomerado urbano no país. Conquistada em 1690 pela Companhia Inglesa das Índias Orientais, que nela construiu o forte William. Em 1756, o Príncipe Suraja Dowla tomou a cidade, mas os ingleses reconquistaram-na no ano seguinte. Em 1883 tornou-se Capital do Império das Índias, posição que ocupou até 1912. Nela se desenvolveram vários centros industriais: ao nordeste, o de Dum Dum, com suas fábricas de armas e munições; ao sul, perto de Alipur, grandes complexos de metalúrgicos e mecânica, fábricas de automóveis e vagões, beneficiadoras de arroz e construtores navais; nos rios de Hooghly, manufacturadas de juta. Um quarto da população vive em tapetes de chão batido. Perto de 200 000 habitantes dormem nas ruas esfomeados. Essa extrema miséria é consequência sobretudo da grande massa de refugiados de Bengala Oriental (antigo Paquistão Oriental) que para lá fugiram desde a independência Indiana e sua separação do Paquistão (muçulmanos). Calcutá tem o porto bem aparelhado por onde passam quase a metade das exportações do país e um quarto das importações.

Kanpur: Construída nas margens do Ganges, desenvolveu-se no fim do século XIX como centro ferroviário, devido à presença de uma importante guarnição britânica. Transformou-se num grande centro industrial, especializado na fabricação de calçados, e que possui também indústrias têxteis, metalúrgicas e químicas.

Fathepur Sikri: Esta magnífica cidade fantasma fortificada foi a capital do império Mogol entre 1571 e 1585, durante o reinado do imperador Akbar. O mais interessante de Fathepur Sikri são as suas ruínas, que se estendem até onde alcança a vista pelos campos em redor.

Varanasi: Cidade de Uttar Pradesh, chamada Varanasi em hindu, é o centro da religião e da cultura hinduístas: desde o século VI a.C. está consagrada ao culto da deusa Siva. Tem mais de 5 quilómetros de templos, monumentos funerários, palácios, e escadarias alinhados ao longo do Ganges, o rio sagrado dos hindus. Há sempre uma multidão de peregrinos meditando nesses lugares, na posição de lótus, lendo livros sagrados e banhando-se no rio. A cidade tem mais de mil e quinhentos templos. Há também uma escola de sânscrito (Queen’s College), que existe desde 1791. Muito artesanato de cobre, madeira e seda absorvem a mão-de-obra local.

Mumbai: Mumbai, anteriormente chamada de Bombaim, é a mais populosa cidade indiana e capital do estado de Maharashtra. Originalmente edificada sobre sete ilhas de lava, liga-se ao norte da ilha Salsette (com a qual forma a chamada grande Bombaim). A cidade tem indústrias dos sectores têxtil, alimentar, químico, mecânico, nuclear e cinematográfico, concentradas principalmente nos bairros de Parel e Dadar, ao norte da cidade, e que utilizam cerca de 44% da população activa do local.

Bangalore: Capital do Estado de Mysore, fundada no século XVI. Famosa em tempos passados pelas suas fábricas de sedas, é uma cidade moderna, cheia de espaços verdes. Tem vários estabelecimentos da Universidade de Mysore, sobretudo de pesquisa como Instituto de Ciências e o Instituto de Pesquisas Raman. Conta com indústrias de material electrónico e de helicópteros.

Goa: É o estado mais pequeno da Índia e situa-se a cerca de 400 Km a sul de Mumbai. A sua língua oficial é o concani, no entanto existem ainda pessoas a falar português, sobretudo a população mais velha, devido ao domínio de Portugal na região durante 400 anos. Goa tem um clima quente e húmido sendo Maio o mês mais quente com temperaturas a rondar os 35 º C. É um destino procurado sobretudo pelas suas belas praias e pelos vestígios arquitectónicos e culturais da presença portuguesa no local.

Taj Mahal: Este impressionante mausoléu, descrito como o monumento mais extravagante alguma vez construído por amor, tornou-se o emblema do turismo da Índia. A sua construção deve-se a Sha Yahan, que o erigiu como mausoléu para a sua segunda esposa, Mumtaz Mahal, que morreu durante o parto em 1631. Ficou tão desolado que, segundo a lenda, o seu cabelo tornou-se grisalho da noite para o dia. Nesse mesmo ano começaram as obras do monumento em sua memória, concluído em 1653.

Fortaleza – Palácio de Amber: Magnífico expoente da arquitectura rajaputra, esta fortaleza-palácio de um rosa ténue ergue-se numa encosta rochosa. Amber foi a mais antiga capital do estado de Jaipur.

Forte de Agra: As colossais muralhas deste forte, cuja construção foi iniciada em 1565, têm mais de 20 m de altura e 2,5 km de perímetro. Construído em arenito vermelho, inicialmente com fins militares, durante o reinado do arquitecto do Taj adquiriu a categoria de palácio, para se tornar, por fim, a sua prisão quando Aurangzeb destronou Sha Yaham em 1658. Contêm um labirinto de edifícios que compõem uma pequena cidade dentro da cidade.

Documentação: É necessário Visto e Passaporte com validade mínima de 6 meses.

Clima: Sendo um grande país existem grandes variações climáticas de região para região. Assim sendo, o país poderá ser dividido em quatro zonas climáticas: alpina, subtropical, tropical e árida. A zona alpina corresponde à região junto aos Himalaias, onde existem grandes flutuações climáticas devido à acentuada variação de altitude. A zona subtropical predomina na parte norte do país e este pode ser chamado de clima típico indiano. Os verões são quentes e húmidos enquanto que no inverno a temperatura pode descer a baixo de 0 graus. As chuvas são comuns no verão enquanto que os invernos são frios e secos. A zona Tropical caracteriza-se normalmente por um clima tropical húmido, derivado das monções, e incluem uma temperatura desde dos 18 graus acompanhada de precipitação média/alta. A zona árida da índia caracteriza-se por altas temperaturas e baixa pluviosidade. É predominante na parte ocidental do país e inclui grande parte do Rajastão. A temperatura nesta zona pode disparar até atingir 50 ºC no verão.
Inverno: De Dezembro a Fevereiro é o inverno em quase toda a Índia. Nesta época do ano, os dias são frios, com temperatura média de 10-15 º C, mas pode cair para abaixo de 0 ºC em algumas faixas superiores do norte do país. Normalmente, os invernos são secos no norte da Índia. Na parte Sul, a diferença de temperatura não é tão acentuada devido ao efeito moderador do Oceano Índico, Golfo de Bengala e no Mar Arábico.
Verão: Março, Abril, Maio e Junho são os meses de verão na Índia. É um período de tempo em que os raios do sol atingem verticalmente o subcontinente indiano. A temperatura média ronda os 32 ºC, mas na região Oeste a temperatura máxima pode ser muito acima da média. O vento quente, conhecido como "Loo" é a característica marcante do verão no norte da Índia.
Monções: É o período em que a Índia recebe a maior parte da sua quota de chuva e corresponde com os meses de Junho, Julho, Agosto e Setembro, em quase todas as partes do país.

O Que Levar na Mala: Recomendamos que leve roupa de verão com tecidos naturais e ligeiros. Para os meses de inverno é necessário levar roupa quente pois as temperaturas em algumas zonas do país são muito baixas. São imprescindíveis sapatos cómodos, óculos de sol, chapéu e protector solar.

Moeda: A moeda na Índia é a Rupia Indiana (INR). Poderá efectuar o cambio no destino e usar cartões de crédito nas principais cidades.

Idioma: A língua oficial da Índia é o hindu, no entanto existem mais de 15 línguas nacionais, faladas em 1600 dialectos. O inglês é também falado na maior parte do país.

Diferença Horária em relação a Portugal: + 5h30

22/02/2022

Procedimentos para entrada na India:

O Ministério da Saúde do Governo da Índia acaba de anunciar que os 7 dias de quarentena para viajantes internacionais que chegam à Índia deixam de ser necessários a partir de 14 de Fevereiro de 2022.

Turistas com relatório RT-PCR negativo podem viajar livremente na Índia. Além disso, passageiros de 82 países* (em regime de reciprocidade) podem viajar carregando simplesmente o seu certificado de vacinação primária completa 

*Consulte aqui a lista de países: https://www.mohfw.gov.in/

Esta lista é dinâmica e será atualizada periodicamente.

 

Para informações detalhadas consulte:

https://www.mohfw.gov.in/pdf/GuidelinesforInternationalarrivalsupdatedon10thFebruary2022.pdf

ou 

aceda ao documento carregado no separador PDF'S

 


Medidas implementadas em Portugal
[Atualização: 19 fevereiro]

O governo português tem vindo a tomar todas as medidas de saúde pública necessárias para proteção de toda a população, assim como de quem visita o país.

As medidas em vigor poderão ser revistas de acordo com a evolução da situação epidemiológica.

I – ACESSIBILIDADE

1) Chegar a Portugal por avião

PORTUGAL CONTINENTAL

PERMITIDO
- Países da União Europeia ou de um estado associado ao Espaço Schengen (Liechtenstein, Noruega, Islândia e Suíça);
- Brasil, Canadá, EUA e Reino Unido;
- Países com voos autorizados para viagens não essenciais sob reserva de confirmação de reciprocidade: Arábia Saudita, Barém, Chile, Colômbia, Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, Indonésia, Koweit, Nova Zelândia, Peru, Qatar, República Popular da China, Ruanda e Uruguai, assim como Taiwan e as regiões administrativas de Hong Kong e Macau,

No caso de países não referidos são apenas permitidas “viagens essenciais”, ou seja, as que permitam o trânsito e a entrada em Portugal por motivos profissionais, de estudo, de reunião familiar e por razões de saúde ou por razões humanitárias.

  • Obrigatório apresentar 
    Certificado Digital COVID da UE na modalidade de vacinação (esquema vacinal completo ou esquema vacinal completo com toma da dose de reforço)
    - Certificado Digital COVID da UE, na modalidade de teste ou recuperação,
    ou Certificado de vacinação (esquema vacinal completo ou com toma da dose de reforço) ou certificado de recuperação válido emitido por um país terceiro em condições de reciprocidade: Albânia, Andorra, Arménia, Benin, Cabo Verde, El Salvador, Ilhas Faroe, Geórgia, Israel, Islândia, Jordânia, Líbano, Liechtenstein, Moldávia, Mónaco, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Macedónia do Norte, Noruega, Panamá, San Marino, Sérvia, Singapura, Suíça, Taiwan, Tailândia, Tunísia, Togo, Turquia, Ucrânia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e dependências da Coroa (Jersey, Guernsey e Ilha de Man), Uruguai, Vaticano (https://ec.europa.eu/info/live-work-travel-eu/coronavirus-response/safe-covid-19-vaccines-europeans/eu-digital-covid-certificate_en)

    Os Certificados de vacinação são aceites se considerarem uma das vacinas aprovadas em Portugal e de acordo com os termos que poderá consultar em "V – INFORMAÇÃO ÚTIL / Vacinação"

    - ou Teste RT-PCR negativo (ou teste NAAT similar) - até 72h antes do embarque, ou
    - ou Teste Rápido Antigénio laboratorial negativo- até 24h antes do embarque (de acordo com a lista da Comissão Europeia com base na Recomendação do Conselho de 21 de janeiro de 2021 / Adenda ).
  • Crianças com menos de 12 anos não precisam de apresentar certificado ou teste.
  • É obrigatório a todos os passageiros de voos com destino ou escala em Portugal Continental, incluindo os voos provenientes dos Açores e da Madeira, preencher o Formulário de Localização de Passageiros (Passenger Locator Form) individualmente, de forma eletrónica, disponível em https://portugalcleanandsafe.pt/en/passenger-locator-card, após a realização do check-in e antes da hora de embarque. O QR Code gerado no preenchimento pode ser apresentado em papel ou digital, sem o qual não será possível embarcar.
  • São aceites as vacinas autorizadas pela Agência Europeia do Medicamento - Comirnaty (BioNTech and Pfizer), Nuvaxovid (Novavax), Spikevax (Moderna), Vaxzevria (AstraZeneca), COVID-19 Vaccine Janssen (https://www.ema.europa.eu/en/human-regulatory/overview/public-health-threats/coronavirus-disease-covid-19/treatments-vaccines/covid-19-vaccines) - e Sinopharm (Vero Cell), Sinovac (Coronavac), Bharat Biotech International (Covaxin), Verity Pharmaceuticals, Fiocruz e R-Pharm. 

 

Para mais informações queira consultar:

https://www.mohfw.gov.in/

https://www.visitportugal.com/pt-pt/content/covid-19-medidas-implementadas-em-portugal

https://www.iatatravelcentre.com/world.php

https://portaldascomunidades.mne.gov.pt/pt/vai-viajar/conselhos-aos-viajantes