Deixar-se encantar pelo Quénia é fácil. Desde os parques naturais onde a vida selvagem é algo de estonteante, passando pelas magnificas paisagens de savana habitat natural de uma fauna única no planeta e onde predominam os Big Five (Leão, Leopardo, Elefante, Búfalo e Rinoceronte) até às praias paradisíacas que atraem os turistas, as escolhas são infinitas.
Apesar de toda esta beleza natural o Quénia é um país feito pelas pessoas. São um povo simpático, afável e hospitaleiro que gosta de receber e sabe como fazê-lo.
Encontrará também uma intensa vida urbana, nomeadamente na sua capital, Nairobi, onde edifícios modernos, lojas e restaurantes cosmopolitas se misturam com mercados e trânsito bem Africanos. Venha descobrir este país e surpreenda-se!!

Quénia - Pacotes de Viagens


Mombasa
DESDE1265€

Mombasa

Partidas Diárias
Quénia Highlights
DESDE1715€

Quénia Highlights

Saídas às Segundas-Feiras
Quénia Clássico
DESDE1970€

Quénia Clássico

Saídas às Segundas-Feiras
Sul do Quénia
DESDE2035€

Sul do Quénia

Saídas às Terças Feiras
Quénia Mágico
DESDE2070€

Quénia Mágico

Saídas às Terças Feiras
Quénia - Safari e Praia
DESDE2145€

Quénia - Safari e Praia

Saídas às Segundas Feiras
O Melhor do Quénia
DESDE2855€

O Melhor do Quénia

Saídas aos Sábados

Nairobi
Nairobi é a capital, cidade mais populosa e principal centro financeiro, económico, corporativo e cultural do Quénia. É a maior cidade da África Oriental e está localizada a cerca de 1.700m de altitude, às margens do rio Nairobi, no sul do país. A sua população, de acordo com estimativas de 2009, é de aproximadamente 3,2 milhões de habitantes, distribuídos dentro dos limites da cidade e mais de 3,5 milhões na sua região metropolitana. Fundada em 1899, é uma das cidades mais jovens da África. Substituiu Mombasa como capital do Protectorado Britânico da África Oriental em 1905 e, posteriormente, foi adoptada como capital da República do Quénia, formada depois da independência do Reino Unido em 1963. Nos últimos anos Nairobi vem despontando como um dos mais prósperos centros africanos, ampliando a sua influência regional não apenas no aspecto urbano mas, sobretudo, no financeiro, politico e cultural.

Mombasa
Mombasa é uma cidade costeira situada localizada a Sul do Quénia. Tendo já sido a capital do país é hoje a segunda maior cidade a seguir à actual capital, Nairobi. Devido à sua localização estratégica Mombasa é uma histórica cidade de trocas tendo sido, por isso, controlada por vários países, entre eles Portugal. É também um dos maiores centros culturais do Quénia, devido à sua proximidade com o subcontinente indiano, sendo também uma cidade marítima com grande tráfego industrial.

Masai Mara
Com uma área de 1.510 km2 Masai Mara não é o maior parque do Quénia mas é, provavelmente, o mais famoso. Situado no enorme Vale do Rift, que vai desde o Mar Mediterrâneo até à África do Sul, deve o seu nome aos 'Maasai', habitantes ancestrais desta mesma área e também ao rio Mara que percorre a reserva. É quase impossível visitar este parque e não ver todos os 'Big Five' (leões, elefantes, búfalos, leopardos e rinocerontes). É também palco da 'Grande Migração', um dos mais espectaculares e maiores eventos deste tipo, que ocorre do fim do Julho a Outubro, e durante a qual cerca de 2 milhões de gnus, zebras e gazelas atravessam a reserva vindo do Serengeti à procura de água e pastagens mais verdes, sempre em alta perseguição pelos predadores que vêm aí uma oportunidade de conseguir uma refeição fácil. Oferece ainda uma gratificante experiência cultural com o povo habitante, os Maasai, um povo nobre e modesto, com valores bastante diferentes dos ocidentais e que vale a pena conhecer.

Tsavo
O Parque Nacional Tsavo é dos mais antigos e o maior do Quénia, sendo constituído pelo Tsavo Este e o Tsavo Oeste.
Tem como principais atracções a Rocha Mudanda, o Yatta Plateau, as cataratas Lugard e a barragem Aruba, assim como uma grande variedade de fauna e flora.

Amboseli
O Parque Nacional Amboseli, outrora conhecido como a Reserva Natural Maasai situa-se no condado Kajiado no Quénia. Os habitantes locais são maioritariamente Maasai, mas pessoas de outras etnias radicaram-se na região atraídos pela exploração turística e pela agricultura intensiva, ambas grandes fontes de rendimento.
O parque é também famoso pela vista espectacular do Monte Kilimanjaro, o maior do continente.

Aberdares
O Parque Nacional Aberdares cobre as áreas mais altas da cordilheira do Aberdare no centro do Quénia, localizado a cerca de 100km a norte de Nairobi. É casa de uma das maiores populações de rinocerontes negros do continente, mas entre os animais facilmente avistados encontram-se os elefantes, as hienas, todo o tipo de antílope e os babuínos.

Lago Nakuru
O Lago Nakuru é um dos lagos salgados do Vale de Rift e é mais conhecido pelos milhões de flamingos que se colocam ao longo das suas margens devido à alta concentração de algas, o seu alimento preferido, proporcionando assim à paisagem um manto cor-de-rosa inesquecível. Apesar do lago ser a sua maior atracção, o Parque Nacional do Lago Nakuru é também constituído por savanas, florestas, e pântanos sendo casa de várias outras espécies como os rinocerontes branco e negro e as girafas Rothschild transferidas para o parque por motivos de conservação de espécie. Gazelas thompson e grant, impalas, búfalos e hipopótamos são algumas outras espécies que também poderá observar em safari pelo parque.
 

Superfície: 580.367 Km2

População: 44.037.650 habitantes (sensos de 2013)

Geografia: O Quénia está situado na África Oriental tendo fronteiras a leste com a Somália, a norte com a Etiópia e com o Sudão do Sul, a oeste com Uganda, a sudoeste com a Tanzânia e a sudeste é banhado pelo Oceano Índico. A região ocidental faz parte do sistema de depressões do Vale do Rift, que deu origem aos grandes lagos africanos, e essa zona do país é banhada por dois dos maiores: o lago Vitória e o lago Turkana. As falhas do rift são rodeadas por montanhas, algumas das quais de origem vulcânica, que atingem o ponto mais alto no centro do país, no Monte Quénia, com 5199 m. As regiões do nordeste ao longo da fronteira com a Somália e Etiópia são regiões áridas e semiáridas com paisagens quase desérticas. O Lago Vitória, o segundo maior lago de água doce do mundo e maior lago tropical do mundo, situa-se a sudoeste do país e é compartilhado com a Uganda e Tanzânia. O Quénia é famoso pelos seus Safaris nas diversas reservas de vida selvagem e parques nacionais existentes no país como, por exemplo, o Parque Nacional de Tsavo, Masai Mara, o Lago Nakuru e o Parque Nacional Aberdares nos quais e em qualquer altura do ano, pode observar os Big Five da Savana Africana (Elefante, Búfalo, Rinoceronte, Leão e Leopardo) além de muitas outras espécies. A Sul, na região de Mombasa, magnificas praias fazem as delicias dos turistas e ajudam a retemperar dos espectaculares safaris. A capital, Nairobi, é um centro comercial regional. A economia do Quénia é a maior da África Oriental e Central. A agricultura é um grande empregador e o país tradicionalmente exporta chá e café e, mais recentemente, flores frescas para a Europa. O setor de serviços é um dos principais motores da economia. O Quénia é membro da Organização das Nações Unidas (ONU), da União Africana (UA) e da Comunidade da África Oriental (CAO).

Visto: O visto para o Quénia é obrigatório e deve ser requerido online no endereço www.ecitizen.go.ke e aconselha-se a realização do respectivo requerimento com pelo menos 10 dias úteis de antecedência sobre a data da partida. O passaporte deverá ter uma validade superior a 6 meses após a data de regresso. Poder-lhe-á ser solicitado um certificado de vacinação contra a febre-amarela, em particular se estiver a viajar desde outro país africano.

Diferença horária: No Verão +1 hora e no Inverno +2 horas que em Portugal continental. Idioma: Inglês e Swahili para além da língua falada por cada etnia.

Clima: O clima do Quénia varia de tropical, ao longo da costa, a temperado no interior para árido nas regiões norte e nordeste do país. É um país muito ensolarado e de temperaturas agradáveis pelo que as roupas de verão são usadas durante todo o ano. No interior e em altitudes mais elevadas é geralmente frio à noite e no início da manhã. A época de "chuvas de longa duração" ocorre a partir de Março/Abril a Maio/Junho. A temporada de "chuvas de curta duração" ocorre entre Outubro a Novembro/Dezembro. A temperatura permanece elevada ao longo destes meses de chuva tropical. O período mais quente é de Fevereiro a Março e o mais frio é de Julho até meados de Agosto. As temperaturas máximas oscilam entre os 21 e os 35 graus e as mínimas, durante a madrugada, entre os 9 e os 15 graus.

Moeda local / sistema bancário: A moeda oficial do Quénia é o Xelim do Quénia (1 xelin equivale a cerca de 0,01 Euros). O sistema bancário é desenvolvido. Os principais cartões de crédito (Visa, Master Card, American Express e Diners Club) são aceites nos hoteis, lodges, nos principais restaurantes, lojas e centros turísticos. Com estes cartões é também possível levantar dinheiro nas caixas automáticas e bancos. Traveller’s cheques e moeda estrangeira podem ser trocados em qualquer banco comercial na maioria das cidades.

Gratificações: Gratificar por um serviço é prática corrente no Quénia e geralmente ronda os 10% sobre o valor da factura. Gratificações a bagageiros (U$D 1,00 por mala), motoristas/guias (U$D 5,00 a 10,00 por pessoa, por dia) e pessoal dos hoteis/lodges (U$D 2,00 a 5,00 por pessoa, por dia). No entanto estes valores são meramente orientativos e a gratificação é recomendada se o cliente está satisfeito com o serviço recebido.

Número de emergência: 999 é o contacto Nacional de Emergência.

Cuidados de saúde: Deverá sempre consultar o seu médico antes de viajar. Aconselhamos um seguro de saúde que cubra todas as despesas médicas, incluindo, explicitamente, o repatriamento. A vacinação contra a febre-amarela não é obrigatória. A profilaxia da malária é recomendável. Evite consumir alimentos crus ou mal cozinhados, beba apenas água engarrafada e, se consumir gelo, certifique-se que é embalado e purificado.

Comunicações: Dispõe de uma boa rede de telecomunicações e os acessos a roaming e internet são razoáveis. No entanto, na savana, é normal alguma dificuldade no acesso à rede telefónica nomeadamente através da rede móvel. O prefixo telefónico Internacional é +254.

Electricidade: 220 / 240 V. Necessário adaptador de tomadas com 3 pinos que, conforme disponibilidade, poderão ser fornecidos pelos hotéis/lodges.

Vestuário: Sobretudo roupa leve e de algodão que se torna mais fresca que as fibras sintéticas. Um chapéu e uns óculos de sol são necessários. Também uma camisa e calças compridas para o entardecer assim como algo mais quente para as noites e madrugadas que podem ser frias. Os sapatos devem ser cómodos e fechados. Não esquecer um bom repelente de insectos e protector solar. O vestuário deve ser prático/desportivo, especialmente nos lugares de veraneio e nos parques. No entanto nos restaurantes deve ser usada roupa mais formal.

Dicas de Viagem: A população do Quénia recebe um elevado número de turistas por ano e é conhecida pela sua hospitalidade. O viajante deve, no entanto, respeitar os costumes e usos locais, em particular fora dos resorts turísticos. O "topless" nas praias é proibido. Evite fotografar pessoas sem a sua prévia autorização e é proibido fotografar ou filmar edifícios públicos considerados sensíveis, como quartéis, portos, aeroportos ou instalações governamentais. Quanto melhor equipado viaje mais desfrutará a viagem. Não deve viajar com demasiada bagagem mas sim com a bagagem adequada. Não esqueça os seus documentos de viagem bem como, se for o caso, a sua medicação pessoal. Além do cartão de crédito deverá também levar algum cash em notas pequenas de U$D e €uro. Material fotográfico e/ou de filmagem é importante para “mais tarde recordar” e não esqueça os respectivos carregadores. Os binóculos ajudarão a apreciar certos spots mais ao pormenor. Óculos de sol, chapéu, roupa leve e prática e calçado confortável são fundamentais. Não esqueça o protector solar e leve um bom repelente de insectos.

Alertamos para o facto de que será necessário cumprir com as exigências sanitárias de cada país que vigorem à data da viagem quer no país de destino quer no regresso ao país de origem. Situação a monotorizar até 10 dias antes da data de partida. 

Todas as despesas devido a eventual necessidade no destino de testes, assistência sanitária ou quarentena decorrerão por conta do visitante.

PROCEDIMENTOS À CHEGADA
• Os visitantes deverão apresentar um certificado de teste negativo para COVID-19 efectuado até 72h antes da sua chegada ao destino.
• Verificações de temperatura a serem realizadas em todos os pontos de entrada nomeadamente aeroportos e também em hotéis, restaurante e outros estabelecimentos.
• Em caso de temperatura elevada e/ou outros sintomas Covid19 o viajante será isolado para mais testes a serem realizados pela equipa local de emergência e ficarão sob vigilância e sem liberdade de movimentos até se obterem os resultados dos mesmos.
• Visitantes considerados positivos para COVID-19 serão colocados em quarentena e respectivos custos (saúde, estadia, alimentação, etc.) deverão ser pagos directamente pelo cliente.
• Todos os setores (hotéis, restaurantes, empresas de turismo, etc.) cumprirão os protocolos Covid19 estabelecidos pelas autoridades locais e em consonância com as medidas definidas pela OMS e OMT.

RESPONSABILIDADES DOS VIAJANTES
Os visitantes são responsáveis por cumprir, à chegada, os requisitos acima indicados.
Todos os viajantes são responsáveis pelo seu próprio material de segurança sanitária bem como pelo respectivo stock para durante toda a sua estadia do seguinte:
• Máscaras
• Luvas de borracha
• Desinfetante para as mãos
• Toalhetes de limpeza
• Garrafa de água reutilizável. Devido à proibição do plástico descartável não se fornecerão garrafas de água. Água filtrada será fornecida sempre que em veículos de safari necessitando, por isso, cada visitante ter o seu próprio recipiente reutilizável.

STAFF LOCAL (Excepto motoristas-guias em safari)
• Os funcionários serão monitorizados em intervalos regulares para garantir que não apresentam qualquer sintoma de COVID-19.
• Os funcionários do nosso parceiro local, ARP Travel Group, não cumprimentam os visitantes e, na presença destes, usarão máscaras faciais e luvas de borracha.
• Os veículos para transfers serão higienizados no final de cada utilização.
• O assento ao lado do motorista não se poderá ocupar.

MOTORISTAS-GUIAS EM SAFARI
• Os motoristas-guias serão monitorizados em intervalos regulares para garantir que não apresentam qualquer sintoma de COVID-19.
• Os motoristas-guias não cumprimentam os visitantes e, na presença destes, usarão máscaras faciais e luvas de borracha excepto enquanto estiver a conduzir.
• Os veículos Safari serão higienizados antes de cada uso
• O assento ao lado do motorista permanecerá vazio e cada veículo está limitado à ocupação máxima de 6 passageiros.
• No veículo será facultado um desinfetante para as mãos de uso comum. Recomenda-se, por isso, que o passageiro use o  seu próprio desinfectante.

SAFARIS REGULARES
Nos Tours Regulares (partidas garantidas) os safaris não atenderão aos requisitos de distanciamento social devido ao tipo de veículo utilizado.  No entanto serão tomadas as seguintes disposições:
• Os veículos serão limitados a um máximo de 6 passageiros e o banco ao lado do motorista-guia não se poderá ocupar.
• Os veículos serão totalmente desinfetados antes de partir para o safari.
• Os veículos passam por higienização todas as noites enquanto estão no safari.
• Os hóspedes terão assento garantido à janela
• Todos os assentos do meio dos veículos safari 4x4 foram removidos. Os 6 passageiros sentar-se-ão em três filas de 2 assentos cada.
• Todos os clientes terão a opção de reservar (com custo suplementar) qualquer dos nossos tours regulares em privado e uso exclusivo de viatura 

VOOS DOMÉSTICOS EM LIGHT AIRCRAFT
• Os pilotos serão monitorizados com regularidade para verificar que não apresentem sintomas de COVID-19
• Os pilotos, ao estarem com os passageiros e/ou ao manusearem a sua bagagem, usarão máscaras faciais e luvas de borracha.
• As aeronaves serão higienizadas antes de cada uso.
• O assento ao lado do piloto permanecerá vazio ou será tripulado pelo copiloto.
• Os pilotos não apertam a mão aos passageiros.
• Todos os assentos na aeronave serão vendidos. O distanciamento social será limitado.

HOTELS, RESORTS, LODGES AND SAFARI CAMPS
Cada estabelecimento estabelecerá as suas medidas e procedimentos para a protecção sanitária, quer do seu staff quer dos seus clientes, face ao Covid-19. Esses procedimentos variam, ou poderão variar, de acordo com a categoria, a cadeia hoteleira, logistica local, estrutura das instalações, etc. Todavia e de acordo com as indicações das autoridades de saúde locais, essas medidas/procedimentos incluirão, no mínimo, o seguinte (sujeito a revisão sem aviso prévio das autoridades): 

• Os processos de check-in eficientes de forma a evitar aglomeração de clientes.
• Quartos (tendas) a serem completamente desinfectados entre check out e chek in dos hóspedes.
• Roupa de cama lavada em soluções antibacterianas e a alta temperatura.
•  Monitorização regular do staff para detecção de qulquer sintoma de Covid-19.  
• Staff usará equipamento de protecção apropriado.
• Higiene adicional em todas as áreas de preparação e serviço de alimentos.
• Sempre que possível, as mesas no restaurante devem ser colocadas com algum distanciamento entre si.
• Áreas públicas, incluindo bares e restaurantes, serão desinfetadas regularmente
• O formato das refeições pode variar de estabelecimento para establecimento entre alguma/s das seguintes medidas:
- Definir refeições à la carte
- Em buffets, será efectuada uma triagem de protecção adicional (por exemplo uso de colheres) e sempre que possivel haverá porções individuais porções individuais evitando assim o uso de porções comuns. 
- Nos buffets o staff servirá a comida e não será o hóspede a servir-se.
- Poderão existir zonas de life cooking desde que supervisionadas por um cheff e onde se respeitem todas as regras de controlo sanitário/desinfecção de todos os utensilios e equipamentos.